Boletim 01/2020

 

“O objetivo deste boletim é deixar os profissionais de enfermagem inteirados com as atividades que a fiscalização tem desenvolvido ao longo da semana.”

O objetivo deste Boletim é deixar os profissionais de enfermagem informados sobre as atividades que o Departamento de Fiscalização do Coren/Ac tem desenvolvido ao longo da semana. A ideia é que seja lançado uma nova edição semanalmente. O profissional de enfermagem poderá contribuir com o conteúdo e propor sugestões de matérias.

Temos recebidos diariamente novas instruções, informações, orientações, decisões e alterações de documentos e informativos por parte do Conselho Federal de Enfermagem.

O Coren/Ac desde o dia 20 de março está em trabalho remoto e as demandas que necessitam de atendimento presencial estão sendo atendidas por meio de agendamento.  Conforme o cenário epidemiológico foi mudando fomos nos adaptando a situação.

A fiscalização hoje conta com 02 (duas) fiscais e 01 (uma) coordenadora que até o presente momento estamos com uma fiscal em atividade remota exclusiva por pertencer ao grupo de risco, a outra comparece ao regional de 2 a 3 semanas de acordo com as demandas de averiguações in loco juntamente com a coordenadora que está em período gravídico. Todo departamento realiza: orientações, esclarecimentos, produzindo relatórios atualizados a respeito de denúncias, atendendo as demandas da ouvidoria.

As averiguações in loco estão acontecendo mediante as denúncias protocoladas e temos dado os devidos encaminhamentos aos órgãos competentes.

A diretoria do conselho, juntamente com o nosso conselheiro federal Dr. Adailton Cruz têm se reunido com os coordenadores de Atenção básica dos Munícipios, Hospitais Gerais, Unidades Mistas e Unidades sentinelas que são referência para atendimento aos pacientes suspeitos/confirmados da COVID-19.

Durante esse período o Departamento de Fiscalização tem    aplicado um instrumento denominado LEVANTAMENTO SITUACIONAL DE RISCO RELACIONADO A COVID-19. Este instrumento tem por objetivo avaliar a existência de plano de contingenciamento, fluxo de pacientes suspeitos, capacitações, políticas institucionais voltadas aos profissionais pertencentes ao grupo de risco e com suspeita de contaminação, bem como a disponibilidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) aos profissionais de enfermagem.

Por meio deste levantamento é possível identificar as instituições que não seguem os atuais protocolos do Ministério da Saúde e recomendações do COFEN.

Todos os casos em que identificamos riscos aos profissionais de saúde e a população geral estão sendo reportados aos órgãos competentes.

DADOS DA FISCALIZAÇÃO

Dados coletados no período de 27 de março à 15 de abril.  

 

A seguir apresentamos as demandas recebidas e andamentos que o Departamento de Fiscalização do Coren/Ac tem realizado durante este tempo de Pandemia.

 

ITEM

QUANT.

ENCAMINHAMENTOS

DENÚNCIA RELACIONADA A EPI

30

Todas as denúncias estão sendo apuradas.

DENÚNCIA RELACIONADA A DÉFCIT DE PROFISSIONAIS

07

Todas as denúncias estão sendo apuradas.

LEVANTAMENTOS SITUACIONAL

80

Todas as informações são enviadas ao COFEN

ORIENTAÇÕES E ESCLARECIMENTOS VIA TELEFONE

71

Os questionamentos são analisados e, caso necessários, são realizados encaminhamentos.

RELATÓRIOS ELABORADOS

02

Os relatórios serão encaminhados aos órgãos competentes.

AVERIGUAÇÕES IN LOCO

11

Baseados na denúncia triamos os casos que necessitam de de averiguação in loco.

RESPOSTAS VIA E-MAIL

05

Todos os e-mails são respondidos e, conforme a necessidade, são realizados os devidos encaminhamentos..

REUNIÕES

04

Estivemos presente com o CRM, com o secretário de Saúde do Estado, Gerente de Enfermagem do HUERB e no Sindicato dos Trabalhadores em Saúde-SINTESAC

ATENDIMENTO DE DENÚNCIAS VIA OUVIDORIA

02

Denúncias realizadas via ouvidoria são apuradas por meio de averiguação in loco.

A apuração dos fatos, assim como a resposta ao denunciante ocorrem em até 5 dias.

INSTITUIÇÕES SEM PLANO DE CONTINGENCIAMENTO

20

Demanda enviada a SESACRE, cobrando providências.

QUANT. DE ENFERMEIROS ABORDADOS

417

 Qunt. informado pelos gerentes de enfermagem durante o levantamento. Em caso de déficit, a situação é reportada a secretaria responsável.

QUANT. DE TECNICOS DE ENFERMAGEM ABORDADOS

1058

Qunt.   Informado pelos gerentes de enfermagem durante o levantamento. Em caso de déficit, a situação é reportada a secretaria responsável.

QUANT. DE AUXILIARES ABORDADOS

24

Qunt.   Informado pelos gerentes de enfermagem durante o levantamento. Em caso de déficit, a situação é reportada a secretaria responsável.

QUANT. DE IES QUE NÃO OFERECERAM CAPACITAÇÃO AOS PROFISSIONAIS QUANTO AO DESCARTE DO EPI

27

Demanda enviada a SESACRE, cobrando providências.

QUANT. DE IES QUE NÃO POSSUI ORIENTAÇÃO AOS PROFISSIONAIS RELACIONADOS A COVID-19

119

Demanda enviada a SESACRE, cobrando providências.

QUANT. DE PROFISSIONAIS CONFIRMADOS COM A COVID 19

5

Entramos em contato com os profissionais que identificamos para prestar apoio e identificar possíveis falhas no sistema.

QUANT. DE ENCAMINHAMENTOS A SECRETARIA ESTADUAL DE SAÚDE

04

Aguardando resposta.

QUANT. DE ENCAMINHAMENTOS A SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE

01

Aguardando resposta.

Dentre as instituições inspecionadas incluem todos os níveis de assistência.

 

Se você conhece casos de profissionais de enfermagem suspeitos ou confirmados nos comuniquem, não esqueça que como profissional de enfermagem também é agente de fiscalização do exercício profissional.

        Todas as denúncias estão sendo averiguadas e no decorrer das apurações poderão ser encaminhadas ao Ministério Público Estadual ou Federal; Ministério Público do Trabalho e Secretárias Municipais e Estaduais de Saúde.

LEMBRETE

É de fundamental importância que o profissional realize qualquer tipo de denúncia em um dos nossos canais via e-mail: coren-ac@hotmail.com, whatsapp: 68 8124-4155 ou na nossa ouvidoria: http://ouvidoria.cofen.gov.br/coren-ac/formulario/padrao/

 

Somos enfermagem e merecemos respeito!

 

DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO DO COREN/ACRE

defiscorenac@gmail.com

 

Informação sobre contaminação de profissionais de enfermagem pela Covid-19

 

Caro enfermeiro responsável técnico ou enfermeiro plantonista,

Precisamos de todas as informações possíveis a respeito dos casos de COVID-19 quando este tenha acometido os profissionais de enfermagem.

 

  1. Todo caso de profissional de Enfermagem AFASTADO com suspeita, INTERNADO e ÓBITO com confirmação de ser portador da COVID-19
  1. Esta comunicação deverá ser realizada por meio do Formulário eletrônico ¨Informação sobre contaminação de profissionais de enfermagem pela Covid-19¨,  disponível no link:   https://docs.google.com/forms/d/1lxjPBicA9zNedN9QVSIYMdYYPCaoJM1sYkSRYet9Gzc/viewform?ts=5e8248e0&edit_requested=true, disponível no site do Coren;
  2. Todas as informações serão mantidas em confidencialidade junto ao Conselho Federal de Enfermagem;
  3. Qualquer dúvida a respeito dessa orientação, poderá ser direcionada a Comissão Local de Crise do Coren ou ao e-mail: cgc@cofen.gov.br

 

 

Sem mais para o momento e, agradecendo a compreensão quanto à importância dessa ação.

Dr. Márcio Raleigue 

Presidente Coren-Acre

A ENFERMAGEM CONVIVENDO COM A PANDEMIA DO COVID- 19

A enfermagem é universal e sua importância para a humanidade é sem dúvida, primordial. Por sua grandeza, nesse momento de crise do covid-19, o mundo todo se convence da celeridade incondicional da ciência, por outro lado, percebe-se a competência necessária da enfermagem frente à pandemia.
O profissional de enfermagem exerce suas atividades com competência para a promoção do ser humano na sua integralidade, de acordo com os princípios da ética e da bioética, amparados na Lei nº 5.905, de 12 de julho de 1973, do Conselho Federal de Enfermagem do COFEN, Art. 1º – Exercer a enfermagem com liberdade, autonomia e ser tratado segundo os pressupostos e princípios legais, éticos e dos direitos humanos.
Os enfermeiros pautados nos referidos princípios e com foco no cuidado, vem
proporcionando assistência aos pacientes infectados com o coronavírus, além de
dispensar informações inerentes ao tema. O cuidado e a competência do profissional
enfermeiro nas diversas áreas, torna-se uma ferramenta valorativa de trabalho
importantíssimo para que o profissional possa intervir terapeuticamente.
Os conhecimentos pertinentes à profissão, capacitação técnica científica e pós
graduação, permitindo excelência na execução de suas ações, promovendo segurança as pessoas assistidas, respeitando e apoiando as iniciativas da Organização Mundial de Saúde (OMS) e Ministério da Saúde (MS), as opiniões científicas e pesquisas, respeitando o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem – COFEN.
Nesse momento mundialmente difícil, cuja pandemia o mundo está passando,
presenciamos equipes de enfermagem adoecendo e sobrecarregados de atividades em relação a carga horária de trabalho, experimentando sentimentos de ansiedade, tensão e dúvidas em relação à sua segurança profissional.
Os profissionais de enfermagem no mundo todo, diante dessa pandemia, estão
labutando e batalhando para oferecer às pessoas acometidas pela doença, segurança técnica, garantindo assistência, resolutividade e atuando integralmente com o objetivo de atender os pacientes, dispensando cuidados aos doentes, inserindo naturalmente abordagem biopsicossocial e holístico, com o propósito de conduzir a organização da assistência de enfermagem realizada pelos trabalhadores da área.
Para garantir a saúde mental dos trabalhadores que estão na linha de frente do
combate à pandemia e salvaguardar a qualidade da assistência, a missão mais
desafiadora dos últimos tempos, a intervenção a atenção à saúde mental torna-se um potente instrumento para auxiliar a gerenciar sentimentos de ansiedade, desespero, pânico e medo, na execução de suas ações.
No desenvolvimento de suas atividades, no cotidiano da pandemia, os
profissionais vivenciam diferentes cenários, quando os esforços positivos tendem a
mudar ao perceber o grande número de pacientes sob sua atenção solicitando a presença de familiares, este se esforça para ter uma resposta favorável, mas em períodos de isolamento social, isso os deixa entristecidos por esta solicitação não ser permitida e perceber que seus colegas estão adoecendo e ocupando os leitos que antes eram ocupados por pacientes que eles próprios cuidavam.
Ressaltamos a importância e valor terapêutico de um relacionamento positivo
entre enfermeiros, colegas de profissão e pacientes fragilizados pela doença,
compartilhando as esperanças, o amor, a vida, a solidão e o sofrimento, sentimentos esses muitas vezes invisíveis aos olhos de outros.
E agora? Quem cuida de quem cuida? Quem terá esse olhar diferenciado aos
profissionais da enfermagem? que privam-se estar no seio familiar, disfarçando suas inquietudes, bem como o cansaço físico e mental, sendo necessário a usar EPIs Equipamentos de Proteção Individual, como se fossem uma viagem à lua, que dificulta a respiração, ingestão de líquidos e alimentos nos intervalos permitidos, correndo o risco de desidratação devido à dificuldade de executar atividades ao uso de tais equipamentos,exaustos por dobrar horas de trabalho, procurando adaptar-se com as carências do sistema, encontrando um jeito de suprir as necessidades básicas dos pacientes, convivendo com óbitos e sem condições de prover as necessidades religiosas, de afeto, carinho e amor dos familiares.
Diante de tal situação, torna-se eficaz o enfrentamento dos fatores estressores
que a enfermagem passa na atualidade. Expressar seus sentimentos em momentos de dificuldades possibilita alivio das tensões. Sendo assim, temos que levar em consideração a comunicação terapêutica que é um importante método eficaz em situação de estresse no trabalho, o qual, torna-se um elemento de ajuda eficiente no compartilhamento de suas expectativas, anseios, sofrimentos e por outro lado, constitui o desenvolvimento de bem estar e conforto emocional.
Por fim, nesses momentos difíceis que a enfermagem mundial atravessa, parabenizamos as equipes de enfermagem do Estado do Acre, que meio à pandemia vem se dedicando e se destacando sem medir esforços na luta contra a propagação rápida e simultânea do covid-19 e na recuperação dos pacientes.

Como cita o último parágrafo do poema “Tornar-se”, escrito por Wanda de Aguiar Horta:
Um ser – Enfermeiro,
É dar de si mesmo
E com isto crescer;
É assumir um compromisso
E com ele amadurecer.


Enfermeiros membros da Comissão Técnica Permanente de Saúde Mental do Conselho Regional de Enfermagem do COREN- Acre.


Maria de Lourdes da Rocha Rosa
Tereza Jesus Canizo de Souza
Camila Daniel Mendon

Enfermeiros da Atenção Básica vamos aderir a Pesquisa Nacional sobre as Práticas de Enfermagem no contexto da Atenção Primária à Saúde.

Com o objetivo de compreender as práticas de Enfermagem contextualizando cenários de atuação e perfis de enfermeiros e enfermeiras do Brasil, o Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) e a Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass); o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems); Associação Brasileira de Enfermagem de Família e Comunidade (Abefaco); e, a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas/OMS); realizam a pesquisa nacional “Práticas de Enfermagem no contexto da Atenção Primária à Saúde” (APS).

Ler mais

Oficina tira dúvidas de Enfermeiros sobre Mestrado Profissional Cofen/Capes

Teve início na manhã desta terça-feira (10), na sede do Coren-AC, em Rio Branco, a Oficina de Elaboração de Projetos de Pesquisa para Enfermeiros, realizada pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) em parceria com o Coren. O encontro teve objetivo de esclarecer como será o processo seletivo no mestrado profissional em Enfermagem, área de concentração em Sistematização da Assistência de Enfermagem e Gestão em Enfermagem, financiado pelo Cofen por meio de convênio com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC).

Ler mais

Feliz dia Internacional da Mulher

Neste dia 08 de março, o COREN AC que tem entre seus inscritos a grande maioria de mulheres vem parabenizar e oferecer esta honraria as enfermeiras empoderadas e guerreiras do nosso sistema.
Somos mulheres que cuidam de mulheres.
Somos enfermagem e merecemos respeito.

Pela valorização e empoderamento da enfermagem feminina.

Delegação do Acre participa do 22º CBCENF.

22º CBCENF

O CBCENF aconteceu nos dias 11 a 14 de novembro e é considerado o maior congresso da área da Enfermagem na América Latina. São palestras, mesas-redondas, minicursos e milhares de trabalhos científicos apresentados simultaneamente. Este ano, a abertura contou com a transmissão ao vivo de 12 influenciadores digitais e nas redes sociais oficiais do Cofen.

Ao longo dos 4 dias de evento, a programação também conta com atividades internacionais, como o Encontro de Enfermagem dos Países do Mercosul, Encontro Latino-Americano de Saúde Mental, Encontro Internacional de Enfermagem Militar e o painel “Nursing Now: Compromisso do Sistema Cofen/Conselhos Regionais com a Enfermagem Brasileira”.

A delegação do Acre composta por 12 integrantes, contando com o presidente em exercício Doutor Marcio Raleigue e os conselheiros Joel Queiroz, Socorro Mota, Lourenço Vasconcelos e Areski Peniche.

Foi criado pelo Cofen em 2012 como uma honraria concedida a profissionais que tenham se destacado pelo exercício profissional exemplar. O presidente do Cofen, Manoel Neri, considera um reconhecimento importante ao trabalho desses profissionais que tanto se dedicam em suas atividades diárias. Todos os anos a plenária do Conselho escolhe um profissional da enfermagem que se tornou destaque na profissão este ano foi indicada para o prêmio Ana Nery a Dra. Mediã Barbosa Figueiredo, doutorada em enfermagem, coordenadora do curso de enfermagem Uninorte.

Fiscaliza Coren-Acre



Cumprindo a agenda de fiscalização, o Coren Acre no dia 28 de novembro a fiscal Nayara Oliveira, juntamente com a coordenadora de fiscalização Dra. Ravena Ferreira realizaram inspeção em 100% das unidades da Zona Urbana do Município do Bujari.

Na oportunidade nos reunimos com os profissionais do município, retiraram dúvidas pertinentes ao exercício profissional.
Em toda a inspeção foram vistas condições de trabalho, anotações de enfermagem, documentos gerenciais do serviço de enfermagem, Sistematização da Assistência de Enfermagem , Dimensionamento e a implantação de protocolos específicos da enfermagem na atenção básica.



Fiscalização no Interior do Acre

Cumprindo o cronograma de fiscalização 2019, no dia 27 de Novembro de 2019, o Conselho Regional de Enfermagem do Acre completou as visitas de fiscalizações em todas as unidades básicas de saúde da Zona Urbana do município de Senador Guiomard.
Anteriormente a Unidade Básica de Saúde Maria do Socorro e a Unidade de Saúde Ilson Ribeiro já tinham sido fiscalizadas, recebendo somente fiscalização de retorno.
Na oportunidade conversamos com a Secretária de Saúde do Município Sra. Valdenia Laurindo e a Coordenadora de Atenção Básica Gabriela e a enfermeira Dioneide.
Em toda a inspeção foram vistas condições de trabalho, anotações de enfermagem, documentos gerenciais do serviço de enfermagem, Sistematização da Assistência de Enfermagem e Dimensionamento.

Fiscal Gilcilene Gadelha na Unidade Básica de Saúde Francisco Taveira
Fiscal Gilcilene Gadelha na Unidade Básica de Saúde Miguel Severino de Oliveira
Fiscal Gilcilene Gadelha realiza reunião com a Secretária de Saúde do Município de Acrelândia, juntamente com a coordenadora da Atenção Básica.

Coren-AC mantém cronograma de visitas e fiscalizações no interior do estado

O Departamento de Fiscalização realizou, no dia 18/06/2019, reunião com a coordenadora da atenção básica do município de Acrelândia para tratar assuntos relativos ao exercício profissional de enfermagem, orientando quanto às normativas do conselho, bem como quanto à implementação de protocolos, dimensionamento de Enfermagem e Sistematização da Assistência de Enfermagem – SAE, nas unidades básicas de saúde do município.